terça-feira, 24 de novembro de 2009

O PT de Minas Gerais e o tabuleiro depois do PED.

Percebe-se um  novo desenho nas articulações que visam as eleições do próximo ano em Minas Gerais. No campo majoritário os candidatos se mostram com mais convicção  e estão  afinando os discursos de candidatos. No PMDB, Hélio Costa busca se cacifar embalando pelas pesquisas que o colocam na frente dos demais candidatos. Pelo lado governista,   foi lançado e já está com o pé na estrada o  Professor Anastásia. Ele vem  contando com a boa aceitação do governo  em Minas Gerais. No campo do PT que a coisa está mais complicada por existirem dois candidatos. Patrus e Pimentel, ambos ex. prefeitos da capital mineira e com muito potencial de votos.


Com a provavel  vitória do Deputado  Reginaldo Lopes para o comando do PT em Minas já se  percebe  a forte pressão pelo lançamento de Fernando Pimentel ao governo de Minas. Patrus teria de se contentar com a vaga do senado seguindo os indicativos do PED. Porém, a disputa está em aberto.  Apesar de Pimentel ter o apoio do presidente da legenda no estado, e também do diretório da capital que elegeu o atual vice prefeito, Roberto Carvalho presidente da legenda com mais de 70% dos votos,  os aliados de Patrus defendem a  realização de prévias.

Caso aconteça segundo turno em Minas o  apoio que pode ser decisivo é o do deputado Padre João, terceiro colocado. Ele declarou ontem que deve estar ao lado de Gleber caso haja novo turno.Vale lembrar que Padre João saiu vitorioso na cidade de Muriaé. Já existem acordos firmados para que todos os candidatos derrotados se aliem a Gleber na intenção de conter a vitória provavel de Reginaldo Lopes. Se Gleber conseguir a vitória tudo muda de novo...

Nenhum comentário: