domingo, 21 de março de 2010

EDITAL DE CONVOCAÇÃO


                                ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA
A Presidente do Movimento Pró-Cultura no uso de suas atribuições legais e em conformidade com o Estatuto Social da entidade  convoca os  seus membros e colaboradores a participarem da Assembléia Geral Ordinária no dia 17 de abril de 2010, ás 16:00 horas, a se realizar no Centro Comunitário Pró Cultura , localizado na Rua Santos Dumonst, 96 , Bairro Aeroporto.

A Assembléia Geral Ordinária tem como pauta para deliberações:

1- Prestação de Contas.
2- Avaliação dos trabalhos realizados.
3- Propostas de alteração estatutária.
4-  Eleição e posse da nova Coordenação
5- Outras deliberações e palavra livre.

Muriaé, 17 de março de 2010


Sandro Areal Carrizo
Presidente Movimento Pró Cultura

Um comentário:

Anônimo disse...

ZÉ MAIA
Deputado Zé Maia (PSDB/MG) atribui protesto de professores em greve à ingestão de “alguma substância”


Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE MG)


Os trabalhadores em educação da rede estadual de Minas Gerais estão em greve desde o dia 08 de junho pelo cumprimento da Lei Federal 11.738/08 que estipulou o Piso Salarial Profissional Nacional já declarado constitucional pelo Supremo Tribunal Federal. No dia 29 de junho, a categoria participou da reunião da Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, visando pressionar o governo e sua base aliada. Nesta reunião seria realizada Audiência Pública para discutir a dívida do Estado de Minas com a União e a categoria queria discutir a dívida do Governo de Minas com a categoria e com uma educação de qualidade.

O deputado Zé Maia (PSDB) é o presidente da comissão e presidia a reunião. Após várias provocações e ataques aos professores, desrespeitou ainda mais a categoria com a afirmação transcrita acima e que consta das notas taquigráficas da ALMG e, portanto, são oficiais, comprováveis. Para ele, a forma como servidores públicos protestavam naquela reunião só poderia se justificar pela ingestão de alguma “substância” que fosse “não natural do ser humano”.

Trata-se de uma acusação gravíssima, oficialmente registrada, de um deputado estadual dirigida à categoria como forma de desqualificação e desmoralização.

Entre um insulto e outro ele dizia que educadores e educadoras estavam “desequilibrados” e “despreparados”; que deveriam ser “trocados”, insinuando que isso seria uma condição para que houvesse negociação.

É lamentável que um deputado estadual se agarre a imunidade parlamentar e se ache no direito de usar o seu mandato para tal comportamento.

Ele deveria ficar mais atento ao que o seu partido tem feito com a educação mineira: em 2009 investiu 20,15% em educação enquanto a Constituição Federal determina o percentual mínimo de 25%, faltam 1 milhão e meio de vagas na educação básica, a privatização do ensino médio profissionalizante, pagamento de vencimento básico de R$369,00 a um professor mineiro. É esta a dívida do Governo de Minas desde Aécio Neves que o Deputado, com os insultos, tentou nos calar durante a Audiência Pública.

FONTE:
http://frasesdadilma.wordpress.com/2011/08/16/deputado-ze-maia-psdbmg-atribui-protesto-de-professores-em-greve-a-ingestao-de-%E2%80%9Calguma-substancia%E2%80%9D/

Depois disso tudo virá a Muriaé no dia 17 de outubro de 2011, onde participará de uma audiência pública, às 10:00 horas, no Zacarias Marques.
É hora do troco.