sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Divulgação

GRANDE PANFLETAGEM NA FEIRA DE DOMINGO.

Neste domingo dia, 15, venha e traga a sua família, amigos, amigas, companheiros, companheiras... Traga a sua bandeira.
Vamos, "Todos juntos por Minas e Muriaé" caminhar pela feira e demonstrar para a população que estamos juntos em busca de projeto popular com André Quintão 13555 para deputado estadual, Pe. João 1315 para deputado federal, Hélio e Patrus 15 para governador; Pimentel 133 e Zito 650 para senador, e Dilma 13.

Domingo - 15 de agosto de 2010.
Muriaé - MG.

09h30 - Grande Panfletagem e bandeirada.
Local: Feira da Barra.
Local de encontro: Comitê da Campanha.

Um comentário:

JOSÉ ANACLETO DE FARIA disse...

A solução não está nas eleições, mas sim na decisão judicial abaixo que se aplica a todos os municípios brasileiros:

A notícia abaixo deveria ser amplamente divulgada, porque os Planos Diretores de todos os municípios brasileiros se enquadram na decisão do Dr. Marcos de Lima Porta – uma decisão corajosa, democrática e humana que poderá contribuir muito para melhorar a administração pública em nosso país.

JUSTIÇA MANDA SUSPENDER REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE SP

São Paulo - O juiz Marcos de Lima Porta, da 5.ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, determinou ontem a imediata suspensão do projeto de lei sobre a revisão do Plano Diretor da capital paulista. Ele invalidou o projeto enviado pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM) à Câmara Municipal. O PROCESSO TERÁ DE COMEÇAR DO ZERO PARA GARANTIR A EFETIVA PARTICIPAÇÃO POPULAR. A Prefeitura pode recorrer.
Segundo o magistrado, a população não pôde participar do debate sobre o Plano Diretor. PRIMEIRO PORQUE A PREFEITURA NÃO PÔS À DISPOSIÇÃO EM SEUS ÓRGÃOS OS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS. Tampouco fez uma campanha ampla sobre a revisão, limitando-se a divulgar a medida por meio de três editais em jornais.
Além disso, o Estatuto da Cidade pressupõe a existência de duas audiências públicas em municípios com mais de 20 mil habitantes. A Prefeitura fez quatro. "Se para 20 mil habitantes o número mínimo é de duas, a realização de quatro audiências para São Paulo é de todo irrisória", disse. Por fim, cada morador tinha direito a falar por dois minutos nas audiências, tempo considerado insuficiente pelo juiz.
Na sentença, o magistrado diz que, para que a democracia seja respeitada, o projeto "não merece prosperar". A CONSTITUIÇÃO "EXIGE A OBSERVÂNCIA DA GESTÃO DEMOCRÁTICA DAS CIDADES COM A PARTICIPAÇÃO POPULAR PARA QUE A POLÍTICA URBANA SE CONCRETIZE". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
http://www.abril.com.br/noticias/brasil/justica-manda-suspender-revisao-plano-diretor-sp-1217850.shtml. Acesso em 13.08.10.