sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Seminário de políticas públicas para a Juventude



Dentro do que foi possível fazer acontecer considero que o Seminário de Políticas Públicas fpara Juventude foi um sucesso. Percebi entre os presentes uma grande vontade de contribuir com o fortalecimento de nossas juventudes. Precisamos reconhecer os jovens como protagonistas de sua própria história e senhor de seu próprio tempo e destino. Com o Seminário foi dado a partida em um processo que não tem mais volta. 

Considero que é a juventude  vai fazer acontecer o desenvolvimento do Conselho Municipal da Juventude e a implantação das políticas públicas necessárias  nas periferias de nossa cidade. Porém, o Conselho em sí, não é  Panacéia de maneira nenhuma . Mas , seus conselheiros  membros são aqueles que vão liderar a mobilização e engajamento da juventude no processo em andamento. 

Foi importante o dia de ontem. Pessoas engajadas, lideranças diversas, ongueiros,blogueiros, empreendedores sociais e governo, todos discutindo os caminhos da organização das políticas públicas para a juventude em Muriáé. 

É importantge ressaltar que a cidade é o berço político do atual Secretário Estadual de Esporte e Juventude. Por falar nisso, será que ele não poderia ter mandado pelo menos uma saudação aos participantes do Seminário. Será que foi convidado ? Se não foi, é uma pena. No mais, estivemos presentes,  levantamos questionamentos e defendemos o protagonismo  predominante  dos Jovens no Conselho Municipal da Juventude.  

Um comentário:

JOSÉ ANACLETO DE FARIA disse...

A Wikipédia define Política pública “como o conjunto de ações desencadeadas pelo Estado, nas escalas federal, estadual e municipal, com vistas ao bem coletivo”.
A Lei nº 10.257, de 10.07.01 (Estatuto da Cidade), estabelece que a cidade deve ser administrada de forma democrática por meio da participação da população e de associações representativas dos vários segmentos da comunidade.
O Plano Diretor, criado pelo Estatuto da Cidade, é o instrumento BÁSICO da administração municipal, ou seja, das políticas públicas. Ele também deve ser PLENO. Desse modo, sendo básico e pleno, qualquer política pública que for implementada na cidade deve constar, obrigatoriamente, do Plano Diretor que, em Muriaé, foi instituído pela Lei Municipal nº 3.377, de 17.10.06.
É importante deixar claro para os jovens – especialmente se houver algum estudante de Administração -- que o Plano Diretor de nossa cidade é um arremedo de planejamento. Tecnicamente mal elaborado, sua aprovação não contou – e sua implementação não vem contando (se é que está sendo implementado!) -- com AMPLA participação da população. Nem mesmo com a do COMUPLAN!
Que a juventude de Muriaé ingresse na gestão pública municipal cumprindo as leis – especialmente o Estatuto da Cidade e a Lei de Responsabilidade Fiscal (LC 101/00) -- são meus sinceros votos.