quinta-feira, 10 de março de 2011

Reflexões sobre o Carnaval 2011.

Passado a grande festa popular vou  fazer algumas reflexões sobre o Carnaval 2011. Quanto a estrutura montada não posso reclamar,  pois foi muito boa.  Porém ,  pude  observar  que ela não foi  dinamizada em toda sua potencialidade. A começar pelas barracas fora da praça de alimentação. O público e os barraqueiros ficaram em lugares distintos  . O palco muito distante das grandes tendas,  deixou o espaço coberto  no ócio durantes os Shows.

As bandas que se apresentaram são muito boas e tocaram todos os rítmos e tons. Porém, acho que cantaram pouco as tradicionais músicas do Carnaval. Quanto aos blocos e escolas de samba, superaram as expectativas. Papagaio , Marambloco, Canarinho, Am izade e Unidos do Santa Terezinha fizeram lindos desfiles , mesmos debaixo de chuva. A beleza do Carnaval foi expressada nas cores das fantasias e alegorias apresentadas no domingo. Foi emocionante o desfile ao sabor da chuva que caiu na hora dos desfiles.

O clíma, por sinal, foi o fator determinante da festa. Debaixo de chuva o publico compareceu  em número reduzido. Segundo estimativas dos órgãos de segurança aproximadamente 5.000 pessoas passaram pela Constantino Pinto. Acho que foi pouco mediante a estrutura montada.
Ficou claro, o que levou o público para a avenida não é a estrutura em sí , mas, os Blocos e Escolas de Samba, que junto a suas comunidades, arrastam multidões para seus desfiles. Vejamos os dias de maior público na avenida, domingo e terça, justamente os dias dos desfiles dos blocos e escolas. 

Como sugestão para 2012, investir em uma estrutura mais humilde e barata , valorizando mais as agremiações carnavalescas. É preciso investir  recursos finaceiros para o fortalecimento institucional dos Blocos e Escolas. 

Por falar em agremiações,  é importante lembrar o movimento no sentido de criar a liga carnavalesca de Muriaé. Acredito que isso permitirá fortalecer a festa emponderando os grupos no processo de tomada de decisões. È importante a participação de representantes de Blocos e Escolas de Samba nessa instância de gestão administrativa e cultural do Carnaval. O Movimento Pró Cultura, por meio do Bloco do Papagaio,  faz questão de acompanhar e colaborar com as ações organizativas da Liga que está para ser criada.


2 comentários:

JOSÉ ANACLETO DE FARIA disse...

Prezado Sandro,
Certo: "É preciso investir recursos finaceiros para o fortalecimento institucional dos Blocos e Escolas".
Não menos importante é investir recursos financeiros para o fortalecimento institucional do processo de gestão democrática de nossa cidade, a fim de que os foliões possam se divertir com tranquilidade e na certeza de se encontrarem amparados, durante os 365 dias do ano, por políticas púbicas eficazes de geração de emprego e renda, moradia, saneamento, transporte, segurança, educação, saúde, esporte, cultura e lazer -- tudo conforme previsto no Estatuto da Cidade (Lei nº 10.257/01).

Caminheiro - Muriaé disse...

Muito boa a crítica! Precisa ser debatida antes da produção do ano que vem!