quarta-feira, 20 de abril de 2011

INDICATIVO DE GRAVE É MANTIDO EM ASSEMBLEIA DO SIND-UTE



Os Trabalhadores da Educação de Minas Gerais fizeram uma grande Assembleia Geral em Ouro Preto e decidiram pela manutenção do indicativo de greve e rejeição ao subsídio. A categoria está mobilizada e ciente do momento histórico para a educação brasieira. Com  a determinação da constitucionalidade da Lei Federal que instituiu o Piso Salarial Nacional  do Magistério os professores ganharam força na causa a ser defendida, a implementação imediata do Piso.

Com  a Lei Federal em vigor,  a proposta do subsídio como forma de remuneração deve ser rechassada pelos educadores. O Piso é o mínimo da remuneração percebida pelo profissional fora as suas vantagens adquiridas ao longo da carreira. O governo tenta impor seus interesses dividindo os profissionais pela forma de remuneração e pelo status profissional. Agora, tem a carreira antiga, a nova com o subsídio para estabilizados, efetivados , concursados e designados todos dentro de um mesmo espaço funcional, a escola.

Mais do que nunca,  a categoria precisa estar unida na rejeição ao subsídio e na luta pelo Piso Salarial Nacional de R$ 1.587,00 para profissionais de nível médio. A luta pela implementação do Piso Nacional e a manutenção das conquistas anteriores torna-se uma prioridade para o Sind-UTE -MG.  Em Ouro Preto ficou claro a disposição da categoria de ir para as ruas gritando em alto e bom tom que o governo de Anastasia não cumpri a lei federal e desvaloriza o servidor  da educação.

Nenhum comentário: