terça-feira, 26 de abril de 2011

Reunião de esclarecimentos em São Francisco.


Cumprindo sua missão estatutária e institucional o Sind-Ute esteve ontem, 24/04,  participando de reunião de esclarecimentos com os trabalhadores em educação da Escola Estadual Santo Agostinho. O encontro foi importante mediante o encerramento do prazo para o servidor decidir se fica na carreira nova recebendo o subsídio ou se retorna a forma de remuneração antiga com vencimento básico.

O Sind-Ute vem orientando a categoria a rejeitar o subsídio que exclui dos trabalhadores as vantagens conquistadas ao longo de sua carreira funcional. É importante ressaltar que a forma de remuneração proposta pelo governador não tem o respaldo do sindicato e,  muito menos,  da grande maioria dos servidores. A luta dos trabalhadores  tem de estar focado no Piso Salarial Nacional de R$ 1.587,00, recentemente declarado constitucional pelo STJ- Supremo Tribunal de Justiça.

Em São Francisco os educadores estão mobilizados e discutindo coletivamente os problemas que afligem o professor. A lei que instituiu o Piso Salarial Nacional afirma que Piso é o mínimo que um educador nível médio pode receber excluídas suas vantagens pessoais. O Subsídio não é Piso e sim, teto. Ao instituir o Subsídio, o governador demonstrou desrespeito aos servidores da educação. 

A carreira da Educação em Minas está distorcida e o servidor cada vez mais sufocado dentro de salas de aulas e em escolas sem estrutura necessária para o fornecimento de uma boa educação. Por esses e outros motivos o servidor não pode fazer o jogo do governo. Se insistir no subsídio perderá a médio e longo prazo. Os percentuais para a promoção na carreira, os valores pagos por pós graduação e aumento de carga horária são alguns pontos que prejudicarão o trabalhador no futuro.

Então, muita atenção nessa hora...NÃO AO SUBSÍDIO !       NÃO AOS DESMANDOS DAS LEIS DELEGADAS !    NÃO AO  ANASTASIA !

É o que nós do Sind-UTE orientamos.... 

Nenhum comentário: