segunda-feira, 9 de maio de 2011

Sind-UTE visita Laranjal

Atendendo ao chamado dos professores da Escola Estadual Cel. Francisco Gama,  o Sind-UTE Muriaé esteve visitando aquela instituição de ensino. A  presença do Sindicato se fez necessária mediante aos abusos cometidos contra os servidores que ali atuam.

Tudo indica a prática do autoritarismo, da imposição, da truculência em detrimento do diálogo, do respeito e do espírito de equipe. Como contaram os servidores presentes a tal pessoa tem uma máxima usada permanentemente em suas falas e reuniões - " manda quem pode e obedece quem tem juízo".

Em pleno século XXI,  onde se falam   de implementação da gestão  democrática em nossas instituições educacionais , essa senhora acha que pode humilhar, ameaçar e apontar dedos para aqueles servidores que fazem realmente a educação acontecer. E, isso,  não pode acontecer...é crime ! 

Com relação a demanda dos educadores,  o Sind-UTE orientou que o Modulo II é um programa implementado pelo governo do estado. O PIP deve ser cumprido  dentro das duas horas semanais de reuniões exigidas por lei,  e não nas quatro horas reservadas para o servidor fazer planejamento diário,  correção de avaliações e trabalhos, estudo, pesquisa etc.

A legislação não exige em momento algum que o servidor cumpra suas atividades extraclasse,  seu Módulo II, na escola. No âmbito  da escola,  somente as duas horas de reuniões semanais,  que podem e devem ser usadas da maneira mais eficiente e dinâmica  conforme a necessidade da escola, ou do governo.

Sendo assim, cabe ao servidor,  de maneira democrática e participativa entrar em acordo com a direção da escola,  visando a definição da melhor maneira de se implementar o PIP, sem tirar do trabalhador seus direitos conquistados ao longo de sua carreira.

Um comentário:

JOSE ANACLETO DE FARIA disse...

TRANSPARÊNCIA
Desculpe-me a intromissão, mas a notícia interessa a todos os muriaeenses: faltam 17 (dezessete) dias para a prefeitura começar a divulgar todos os pagamentos efetuados na internet, em tempo real (Art. 48 LC 101/00).