quinta-feira, 7 de julho de 2011

Os caminhos da Educação em Minas Gerais

Diante do quadro desesperador da educação e a total indiferença do governador nós percebemos que os servidores da educação em Minas Gerais encontram-se em uma encruzilhada. Existem dois caminhos a serem seguidos e a escolha é do trabalhador da educação.

O primeiro caminho é apontado pelo governo de Minas, é o mais fácil de trilhar  e composto por um pacote que consta a política de remuneração por meio do subsídio, o descaso, a truculência, o choque de gestão e a retirada de direitos. Quem pegar esse caminho,  estará seguindo para fazer o jogo do governo. Esses, devem estar satisfeitos com o salário, carga horária e a retirada de seus direitos. Esses, também, perderão o direito de reclamar já que estarão fazendo o jogo do Anastasia em detrimento dos milhares de companheiros já estão em greve em Minas Gerais e Brasil.

O segundo caminho é o mais difícil, ele é constituído de luta sacrifícios e embates com o governo e seus representantes. Nós, que somos politizados e conscientes de nossos direitos escolhemos esse trilho apesar de ser cheio de surpresas e dissabores. É preciso de lembrar de uma máxima muito usada nos movimentos revolucionários. " Mais vale as lagrimas de uma vitória não conquistada do que a vergonha de nunca ter lutado".

Sendo assim, companheiros e companheiros que não aderiram a nossa causa,  venham se juntar a nós ! Vamos juntos mostrar a força que que o trabalhador da educação têm,   conquistando a implementação do Piso Salarial Nacional. Ou nós  unimos nossas forças em prol de conquistas para a categoria agora  ou vamos amargar por mais de uma década  a indiferença do tucanato mineiro.

Faça uma reflexão com os companheiros de sua escola. Discuta sobre a realidade e os rumos que a educação vai tomando. Vamos lutar juntos pela valorização da educação como mola propulsora do desenvolvimento desse país.

Avante, com resistência e coragem até a vitória !

Nenhum comentário: