segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

O blá blá blá começou !

Falar da política muriaeense é sempre gostoso e nem sempre é produtivo... A intenção é  fazer uma  análise pessoal da conjuntura política em nosso querido município. Com a proposta de refletir sobre  possíveis tendências da política partidária pretendo fomentar o debate sem fugir de minha relação de filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT). O que falo,  é o que ouço nas conversas de pé de ouvido,  no boteco tomando cerveja ou no local de trabalho . As forças políticas estão se reorganizando e as articulações já estão no ar. Foi  deflagrado o processo de entendimentos partidários e as   possíveis alianças já estão sendo desenhadas para próxima campanha eleitoral.

Percebe-se, nas ruas,  um crescimento do sentimento de   rejeição ao atual prefeito, o que sinaliza dificuldades futuras, do chefe do executivo, em fazer o seu sucessor na próxima eleição. O atual governo trabalhou muito em seus dois mandatos e chega ao último ano, com os desgastes naturais e inerentes à gestão.  A equipe gestora atual, apesar de afinada,  sente a falta da definição do nome do sucessor e de perspectivas de continuidade no poder. Nomes de peso,  formam o secretariado do atual, alguns perfis mais técnicos e outros mais políticos. Uma coisa é certa, com um candidato competitivo, somado com a máquina da prefeitura na mão,  uma boa estratégia de campanha,  o grupo político que está  no poder vêm forte para a disputa e vai dar trabalho.

Por outro lado, percebe-se também,   um momento favorável ao Deputado da Fundação e seu grupo político. Parece que a bola da vez será seu candidato a prefeito.  Resta definir quem têm  maior potencial de votos e densidade política. O eleitor de Muriaé está com uma forte inclinação para a experiência do novo. Esse grupo político, que desponta como favorito,  nunca esteve a frente da prefeitura de Muriaé. Isso é uma novidade e pode atrair o eleitorado  de variados seguimentos e extratos sociais.

Outro fato relevante no tabuleiro político, foi  a  fundação do PSD em Muriaé, isso  constituiu na formação de uma nova força política de centro/direita de forte ligação política com os democratas muriaeenses. Esse novo Partido,  atraiu 02 (dois) vereadores para  seus quadros  e,  em 2012, estará presidindo a Câmara de Vereadores. Não restam dúvidas,  esse Partido pode desequilibrar a relação de forças nas próximas eleições em Muriaé. O PSD é um partido que já tem em suas fileiras importantes figuras políticas, lideranças comunitárias e dirigentes de associações de bairro... Seus quadros são bons e estarão montando uma boa chapa de vereadores  para o próximo pleito eleitoral. Possivelmente poderão lançar candidatos a prefeito e vice, depende dos arranjos do deputado que coordena a movimentação das peças.

Uma terceira via também é ventilada pelas ruas de Muriaé, ela seria a união de partidos em torno do PMDB,  que já possui um eleitorado forte  e tem mantido uma votação expressiva mas, não suficiente para ganhar as eleições. Não  se deve subestimar a possibilidade dessa aliança,  que poderia reeditar a chapa vitoriosa de PMDB/PT dando competitividade e consistência ao pleito eleitoral. Também podem compor essa aliança os partidos PCdoB , PSB, PPS, PHS e PRB,  fazendo uma ampla frente de tendência mais a esquerda, em contraponto aos grandes grupos políticos e econômicos de Muriaé.


Essa seria uma alternativa viável.   O problema é que o PMDB quer de todas as maneiras a aliança com os demistas. Esses, não abrem mão da cabeça de chapa e o PMDB, também diz que não abre mão. Porém , um terá que ceder se quiserem caminhar juntos  em uma aliança com reais chances de vitória. Os peemedebistas possuem uma tradição na política muriaeense e são detentores de, pelo menos,  um terço dos votos . O grupo do DEM,  traz a força de seu lider político, com 07 (sete) mandatos de experiência como deputado federal.  Essa união é bastante promissora e forte na organização de um projeto para a cidade de Muriaé  .

Falam-se de muitos nomes para prefeito e existe uma enquete em um site da cidade que faz alguns apontamentos. Dentre os nomes que são ventilados destaco o vereador Dr. Carlos Wilsom, o Grego, Dr Odilon,  Eveline Amaral, Dr Aloísio Aquino, João Paulo Goulart, Cezar das Máquinas, João Ciribelli, Joel Abreu , Geovane Lacerda e outros. Os nomes são muitos e os postulantes assumidos se esforçam para estar na mídia e nos eventos sociais . Alguns , são mais afoitos e outros mais reservados. Existe prefeitável não aceita nem mesmo falar no assunto e dizem não se interessarem em ser candidatos. Esses são os melhores !

Muriaé  chega ao ano novo tendo como dilema eleitoral escolher entre a continuidade da atual gestão ou  a mudança da administração. Essa será a tônica da campanha que promete ser disputada voto a voto nas ruas da cidade. Dois grandes  grupos de poderes econômicos imensos irão se confrontar e no fogo cruzado surge a terceira via que pôde ser o fato novo na eleição. Quebrando a polarização ( Braz e Varela) seria algo inusitado e positivo para a cidade. Cabe aos partidos da terceira via  apresentarem um candidato que tenha um projeto com potencial de enfrentamento nas urnas. 


O Governo Municipal
Aproveito a oportunidade e faço algumas reflexões sobre a administração municipal dando ênfase aos aspectos positivos e negativos da gestão em relação ao funcionalismo público municipal. Vou começar destacando o perfil gerencial do atual prefeito. Com características empresariais,  o governo gira em torno da figura central do prefeito. Sua palavra é soberana e as vezes decisões são tomadas de forma autoritária e centralizada. 


Como  marca registrada dessa administração, realço a relação de um conjunto de obras muito significativo. Os recursos federais e estaduais continuam a chegar de forma organizada e planejada e o governo municipal sabe capitalizar muito bem com eles. Recentemente foi anunciado com grande alarde a realização de convênios com a Caixa Econômica Federal para obras  de infraestrutura na malha urbana de Muriaé.  O aporte de recursos para o município é revertido em obras e programas  que atingem milhares de muriaeenses por todos os cantos da cidade. Não dá para não enxergar as obras que estão sendo  entregues a população.


Outro aspecto que surpreende na relação da atual administração com os servidores municipais é a submissão servil do funcionalismo público municipal. Com a política de  seguir o INPC - Índice de Preços ao Consumidor como referencial e concedendo pequenos reajustes anuais,  manteve o servidor acomodado.  Apresentou e aprovou os Planos de Carreira,  concedeu a equiparação salarial para os professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental . Acredito que devido a essa relação o servidor encontra-se inerte perante a atual administração que paga em dia,  concede os benefícios de maneira eficiente e sem burocracia. O servidor a grosso modo,  não têm muito a reclamar. Mas, há falhas grotescas e inaceitáveis que sou obrigado a falar novamente...


Como ponto negativo destaco o cruel decreto que não permite ao funcionário publico municipal( contratado) de tirar licença para tratamento de saúde. Trata-se de uma crueldade sem tamanho,  fazer o servidor trabalhar sem estar em plenas condições de saúde é um desrespeito ao servidor. Outro decreto que está causando grande desumanidade atinge   as professoras,   enquadradas na readaptação definitiva. As servidoras estão tendo seus direitos violados por uma lei que, em tese,  deveria ter sido feita para lhes  protegerem. Estão tendo seus concursos públicos caçados e seus diplomas universitários rasgados. 


Com  fragilidades ainda no campo do meio ambiente e em outras áreas a administração municipal vai caminhando na batuta do Seu Zé...



2 comentários:

Vinnicius Mendes Ventura disse...

Fantástico companheiro!

Dr. Carlos Wilson disse...

Sandro, parabéns pelo artigo.
Penso como Raul Seixas: "Sonho que se sonha só é só um sonho. Sonho que se sonha junto é REALIDADE".
Temos que nos unir para a Vitória.

Feliz 2012 para você e toda sua família.
Abraço,
Carlos Wilson Abreu
www.drcarloswilson.com.br