sexta-feira, 24 de maio de 2013

PELA REDUÇÃO NA JORNADA DE TRABALHO E VALORIZAÇÃO DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Estivemos mais uma vez reunidos com Secretaria Municipal de Educação para discutir aspectos referentes a carreira dos profissionais da Educação da Rede Municipal. Reconheço que a reunião foi uma manifestação clara dos gestores em dialogar com a categoria no sentido de garantir avanços em remuneração e qualidade no desempenho do trabalhos profissionais. Porém, ainda não chegamos a uma conclusão que realmente valorize os professores como eles merecem.

Durante a reunião ficou evidente dois posicionamentos diferentes em relação à luta histórica dos servidores no que tange a salários e jornada trabalhada. Ambos possuem em suas essências o desejo de alcançar conquistas que repercutam positivamente nas carreiras dos profissionais A primeira posição é  aumentar da carga horária para 30 horas semanais, sendo 20 horas em sala e 10 extraclasse. A segunda, seria reduzir para 16 horas em sala de aula, acrescida de 4 horas de exigência curricular ( Para os anos iniciais do Ensino Fundamenta) e 4 horas para atividade extraclasse. 

Considerando que nossa luta sempre foi pela redução da jornada em sala de aula defendemos a segunda opção,  por acreditarmos que ela significa um real avanço nas condições de trabalho na Rede Municipal. Na primeira proposta,  que oferece um aumento salarial de 185,00 e o aumento da jornada de trabalho para 30 horas não conseguimos enxergar vantagens significativas para as carreiras dos professores.

Hoje nosso salário inicial é de 1329,00 para uma jornada de 24 horas semanais. Com o acréscimo de 185,00  no salário base ele iria para 1514,00. Pois bem, trabalhando as 24 horas  semanais,  o valor da hora aula é de 55,38 e se for para trabalhar as 30 horas com o Salário base a 1.514,00  o valor da hora trabalhada cai para 50,47. Sendo assim, o aumento da carga horária para 30 horas significa perda salarial e a  consequente desvalorização do servidor.

Como não houve um consenso e nem os membros da reunião tinham legitimidade para decidir em nome da categoria,  será feita uma consulta aos professores e  o que a maioria decidir será implementado pela Secretaria Municipal de Educação. Particularmente defendi a realização de uma Assembleia com todos os professores da rede onde eles  manifestariam  sua decisão sobre as teses apresentadas. Eis a o X da questão: REDUZIR OU AUMENTAR  A CARGA HORÁRIA ?

São posições antagônicas que mostram duas opções de escolha. Conforme o senso comum é certo que estamos trabalhando muito e  a redução na carga horária significa melhorar a qualidade de vida profissional. Por outro lado,  o pequeno ganho momentâneo de R$185,00 seria diluído com o passar dos anos,  sem falar a incidência dos descontos do MuriaéPrevi e Imposto de renda. 


Nenhum comentário: